Text Size
Dzień dobry, znajomych! (Bom dia, amigos)
 
Aqui estou eu, Sir Kowalewski, a pecinha difícil das mesas rolepleigueimísticas (inventei uma nova palavra), figura polêmica, carta selvagem, escroto de carteirinha, querido por uns, odiado por outros (fazer o quê, né?), escrevendo seu primeiro artigo para este fantástico-fabuloso-e-não-menos-incrível blog do meu super-chapa Fenrir, lenda urbana do RPG Natalense.
 
Procurei ser neutro neste artigo. Todo mundo conhece minha fixação pelo DC Heroes RPG (que também comento aqui), mas resolvi fazer um pequeno retrospecto dos RPGs com temas de super-heroismo.

 

Introdução

O que define exatamente um herói e um super-herói? É difícil para muitos separar os dois.
 
O super-herói evoluiu dos heróis dos pulps:
 
Pulp ou ainda pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início da década de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e não raro o termo "pulp fiction" foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.
 

A despeito disso, vários escritores famosos já trabalharam em pulps, como Isaac Asimov que escreveu para a Astounding Science Fiction, de ntre outras. Outros foram Raymond Chandler e Dashiell Hammett, ambos em início de carreira. O personagem O Sombra surgiu num programa de rádio, onde quem lhe emprestava a voz era o ator e diretor Orson Welles e depois foi adaptado para as revistas pulp.
 
Enquanto que Superman é considerado o primeiro herói com poderes, estreando em 1938, outros seriam elos perdidos entre heróis dos pulps e o super-herói, como por exemplo, o Fantasma e Mandrake da King Features Syndicate, e o Dr. Oculto da National Periodicals (atual DC).
 

RPGs

Com o advento do primeiro RPG em 1974 (alguém ouviu Masmorras e Dragões?), não demorou muito para o nicho heroico ganhar seu espaço.
 
Mas falando em termos de mesa de RPG, o que é um super-herói? Um cara muito louco que voa, sai dando cacete em vagabundo e usa cueca por cima da calça (dã)?
 
A Wikipedia define super-herói como:
 
Um personagem fictício "sem precedentes das proezas físicas dedicadas aos atos em prol do interesse público".
 
Mas vejamos. Neste contexto, Um mago de D&D seria um super-herói. Um vampiro bondoso de Vampiro - A Máscara seria um super-herói (Alguém sentiu o cheiro, ou melhor, o fedor de Crepúsculo?). E obviamente os sistemas que contém tais personagens não são classificados como sendo gênero super-herói. Mas reparou o quão tênue é a linha que separa as ambientações?

Champions

Em 1981, George MacDonald, Steve Peterson, Bruce Harlick, e Ray Greer criaram o sistema Champions, publicado pela Hero Games, o primeiro RPG com super-heróis. Ao invés de rolar atributos, o sistema baseava-se em construção do personagem com quantia de pontos pré-estabelecida. Ao invés de oferecer um menu de poderes específicos, os poderes em Champions são definidos pelos efeitos. Uma rajada de energia, por exemplo, é o mesmo poder, independente se isto será um feixe laser, raio congelante ou rajadas místicas.
 

Marvel Superheroes RPG

Até a TSR conseguiu sair de sua rota inicial da fantasia medieval e pousar nos campos super-heroísticos. Desenvolvido em 1984, Marvel Superheroes foi o primeiro RPG de super-herois baseado numa franquia. A princípio, atributos e poderes eram vagamente descritos. Muitos humanos poderiam ter Strength (Força) em classe Poor ou Typical, enquanto seres poderosos como Hulk teriam Strength de classe Unearthly. Entretanto, na primeira edição não eram definidos limites numéricos. Usava-se uma tabela multicolorida para definir os resultados das jogadas. O sistema tinha poucas regras para criação de personagens próprios (favoreciam utilizar os já existentes no Universo Marvel).
 

DC Heroes RPG/Blood of Heroes

DC Heroes foi um RPG criado pela Mayfair Games tendo como tema os personagens da DC Comics. Rezam lendas que alguns dos escritores da DC utilizaram o jogo para criar algumas histórias (o que eu particularmente acho que pode ter sido o caso da Morte do Superman, leia-se Fogo queimando Hero Points para não morrer de um soco de Apocalypse), mas o fato é que alguns escritores da DC escreveram realmente alguns dos suplementos da coleção. A primeira edição de DC Heroes é de 1985, com uma segunda em 1989 e a terceira em 1993. O sistema era baseado em tabelas, construção de personagens com quantia de pontos pré-estabelecida, e medidas de atributos baseados numa progressão geométrica. Em resumo, alguém com Strength (Força) de 4 APs levantaria 250 quilos, Força de 5 APs levantaria 500 quilos, e 6 APs de força, uma tonelada. Isto possibilita basicamente que personagens humanos, como Robin, e personagens que levantam milhares de toneladas, como Superman possam coexistir no mesmo sistema, sem ser necessária a rolagem de milhares de dados. Outro fator importante no sistema, tudo é resolvido com uma jogada usando dois d10 e comparando com as duas tabelas, uma para definir o resultado necessário nos dados, e outra para definir quão bem foi seu sucesso, baseado no número dos dados (Como por exemplo, dano causado por uma rajada de energia, quão boa foi uma performance artística, ou quanto tempo um personagem ficará sob controle mental). Como o primeira edição foi lançado em 1985, ano da Crise nas Infinitas Terras, as estatísticas de alguns personagens eram “Pré-Crise” e absurdamente alopradas, leia-se Superman com Força 50. Eu mantenho uma intensa página pessoal sobre o sistema, que no momento conta com mais de 700 artigos, que pode ser conferida aqui: DC Heroes RPG Wiki
 
 
Em 2003, a Mayfair foi vendida para a Pulsar Games, que lançou o Blood of Heroes. O jogo utilizava as mesmas regras do DC Heroes, mas com personagens de um ambiente próprio, uma vez que a DC Comics mantém o copyright de seus personagens. Ademais, novas regras, novos Poderes, e novos etceteras foram incluídos no sistema.
 

DC Universe Roleplaying Game

Em 1999, a West End Games, responsável pelos RPGs de Star Wars, criou o DC Universe (que por favor, não confundam com o atual MMORPG). O sistema, baseado no Legend System (também chamado D6 System), era jogado com dados d6 que continham símbolos de personagens para identificar acertos (Superman sendo sucesso, Darkseid sendo fracasso, além do dado selvagem adicional que também possuía o símbolo de Batman para sucesso crítico e Coringa pra fracasso crítico). Diferenças entre o DC Heroes e o DC Universe incluíam Perícias de Manipulação (No DC Heroes, por exemplo, sua habilidade e dano com um poder de longa distância eram os mesmos; no DC Universe, você necessitava comprar Marksmanship ou Know-How específico do tal poder).
 

Aberrant

Publicado pela White Wolf em 1999, a primeira edição era compatível com Storyteller. A segunda edição, de 2003, é compatível com D20 System. Aberrant lida com personagens categorizados como “novas” (da mesma forma que vampiros são categorizados como cainitas). Os novas são humanos dotados de superpoderes devido a um “rudimentar entendimento subconsciente de quântica”. Como efeito do uso destes poderes, o personagem tem o efeito colateral “Taint” (Mácula), mais ou menos como a falta de humanidade em Vampiro - A Máscara leva à Besta. O Taint, no entanto, causa deformidades físicas ou psíquicas nos novas: desordem sociopática, tentáculo crescendo no estomago, cabelo de fogo, poder sempre ligado, etc.
 
Em breve a continuação desse artigo.
 
 
 

BLOG - RESENHAS

[ Reset Settings ]

Receba todas as atualizações via Facebook apenas clicando no botão Curtir logo abaixo.

GOSTOU DO ARTIGO? ESPALHE E COMENTE!!!

Share on Myspace